Avançar para o conteúdo principal

CONTA-ME O QUE FAZES

Imagem retirada da internet

Sou, por natureza, um curioso!
Ao contrário de outras pessoas, não espero para saber as coisas. Vou procurar saber. Aconteceu-me assim em toda a minha vida: pessoal, académica e profissional.
Vem isto a propósito de uma interrogação minha acerca do muito pouco que se sabe, publicamente, da actividade política local nos 4 anos que medeiam campanhas eleitorais.
Há dias o Miguel Summavielle "repreendeu-me" por ter feito uma observação acerca da actuação dos IPF, dizendo-me mal informado.
Reflectindo sobre isso admito, sem dificuldade, que há factos a que não consigo aceder. Rejeito, no entanto, a maior parte da culpa porque sei aquilo que me esforço por receber a informação acerca da minha terra (e não só).
As redes sociais são uma fonte que já provou ter considerável enviesamento da qualidade (da veracidade, mesmo) daquilo que transmitem. Isso obriga-nos a aplicar um filtro extra àquilo que lá lemos ou vemos.
O site oficial do município, por exemplo, é de uma pobreza assinalável e não representa o concelho da melhor forma nem pela imagem que transmite nem pela informação que disponibiliza. 
Finalmente, os partidos políticos, actores de muita da actualidade concelhia só comunicam com os eleitores quando em campanha. Após o acto eleitoral, fecham a "loja".
Eu sei que os orçamentos das estruturas dos partidos (e por maioria de razão dos movimentos de independentes, também) não dão para contratar assessores de imprensa mas sou dos que acredito que dá para fazer bastante mais do que o que se faz.
Claro que temos os blogues (este meu lugarejo é um exemplo) mas muito do que aqui se escreve resume-se a visões pessoais e opiniões não havendo, normalmente, a preocupação de informar. O contraditório é feito através de comentários, muitas vezes a coberto do anonimato, e que são, eles também, carregados de subjectividade e sobejamente parciais.
O aparecimento do Jornal "Notícias de Fafe" e a novíssima "Fafe TV" são os 2 únicos veículos "oficiais" de informação. A outra empresa ligada à comunicação social está em "hibernação" e limita-se a ceder os direitos de rádio amputando, assim, o concelho de um órgão de informação importante. Entendo a opção, até porque conheço razoavelmente a empresa, mas lamento essa realidade.
A propósito do dia da rádio, Elsa Lima, no editorial do "Notícias de Fafe", lançava um apelo para trazer a Rádio Clube de Fafe para o seu papel original. Espero que seja possível montar um projecto à volta da licença mesmo tendo em conta os tempos de crise que atravessemos. Era Fafe que ficava a ganhar.
Até já!!!!




Comentários

  1. Sabes uma coisa que tens de bom, Ricardo? É que pões Fafe a pensar. Aquela parte de Fafe que pensa.

    ResponderEliminar
  2. Amigo Hernâni: esta é, também, uma forma de eu pensar alto.
    É um exercício um pouco narcisista, como escrevi há dias noutro local mas quando há feed-back às minhas "provocações" sinto que as palavras cumpriram a sua missão.
    Quando não há, tudo bem na mesma. Fica para a próxima!
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Recebi uma chamada de atenção da parte do João Carlos Lopes por não ter referido o Montelongo Desportivo como "veículo oficial" de informação.
    Tem toda a razão mas a minha omissão deve-se ao facto da especificidade deste órgão de informação. Tenho a maior consideração pelo seu trabalho (bem como o Fafe Desportivo) e, sem favor, reconheço a imensa dedicação que o João dedica ao desporto em Fafe.
    Peço-lhe desculpa e espero que ele entenda a minha perspectiva.

    ResponderEliminar
  4. Caro amigo,
    Os Independentes têm uma página no facebook onde vão dando conta da sua actividade. É o que se pode...
    Restaria o jornal local. Infelizmente, o Notícias de Fafe, no que à política diz respeito, sofre de parcialidade. Peço-te que vás reparando quantas vezes aparecem fotografias de outros agentes políticos que não sejam os ligados ao poder. Repara também como sempre que há um artigo sobre algo que se oponha ao poder, este termina sempre a citar uma nota explicativa da Câmara ou do PS. É sempre dada a última palavra a quem manda! Assim não é fácil…
    Fazia falta alguém como o Sr. Hernâni, sem pápas na língua!
    De qualquer maneira, registo a tua indicação e vou, no movimento a que pertenço, propor que arranjemos solução para o facto.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Obrigado pelo seu contributo.

Mensagens populares deste blogue

SELVAGENS!!!!

Imagem retirada de http://cm-fafe.pt
Volto a este espaço, há muito deserto, para expressar a minha repulsa pelas atitudes do Município de Fafe no abate arbitrário de árvores no espaço urbano.
Não há qualquer relatório que justifique estes atentados que quem nos governa (?) tem praticado até porque aquele que, supostamente escuda este "crime" não diagnostica nenhuma doença insanável. É terrorismo puro e simples que procura respaldo em técnicos de uma instituição respeitada.
Quem quiser ler o relatório encontrá-lo-á aqui .
Não está em questão o valor do património natural destes espécimes mas mais uma acção que demonstra a insensibilidade que habita na 5 de Outubro e que tinha sido bem demonstrada no ataque às árvores da Praça da Liberdade. 
Aproveito a oportunidade para lembrar que a Praça 25 de Abril sofreu uma profunda requalificação há não muito tempo e quem perder um bocadinho de tempo a ler o relatório de conforto que o Município divulgou constatará que os problemas san…

A MINHA LEITURA

Raúl Cunha ganhou!

Mais do que o PS. Mais do que a família Summavielle. Mais do que o "PS de Lisboa". Quem fez a diferença nestas eleições foi mesmo Raúl Cunha. O mais político dos não-políticos deu uma lição aos catedráticas dessa arte.
Numa noite eleitoral em que não vislumbro claros derrotados e em que, após uma campanha com episódios lamentáveis (especialmente nas redes sociais), a pequena diferença entre os dois primeiros classificados poderia levantar questões, o que se passou foi de grande maturidade democrática.
Excepção a isso foi um excerto de um comentário da candidata do PS à junta de freguesia de Fafe em que dizia "Lamento que Fafe não queira mais e melhor", demonstrando falta de humildade e de sentido democrático mas desculpável por ter sido proferido muito a quente.
Foi uma boa eleição. Espero que se siga um processo que conduza à governabilidade do nosso concelho. Não, necessariamente, uma coligação parecida com a do último mandato mas que seja enc…

Grato pela atenção

Ao fim de 7 meses e 10.000 visualizações, sinto-me honrado pela atenção que dezenas de pessoas entendem dedicar aquilo que escrevo aqui. 
Confesso que, à partida, não tinha quaisquer expectativas acerca do impacto que a minha intervenção iria gerar ou do interesse que poderia suscitar. Foram vários os temas que foquei. Uns de carácter mais pessoal que reflectem o comprometimento que estabeleci. Outros de carácter mais interventivo, fruto da minha faculdade de pensar e ter opinião.
Reafirmo o meu compromisso de fidelidade às minhas ideias e à verdade. Doa a quem doer e sem medo de enfrentar, olhos nos olhos, quem, eventualmente, se sinta desconfortável com os meus textos. Nunca entrei, nem entrarei, em questões pessoais e a minha análise será sempre aos aspectos públicos de pessoas ou instituições.
Não posso deixar passar sem agradecer os vossos comentários (mantenho os comentários totalmente abertos e livres), as palavras de incentivo que muitos de vós me entregam quando nos encontram…