Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2017

COLADORES DE CARTAZES

A 4 meses das eleições autárquicas o ambiente político em Fafe está efervescente!
As redes sociais deram novas ferramentas aos candidatos e estes têm-se fartado de as usar, principalmente os que estão fora do "palco" da governação municipal. Os que estão nesses lugares tiram proveito do que fazem para fazer a sua propaganda.
Quer as candidaturas quer os seus apoiantes (mais ou menos fervorosos) espalham os seus pontos de vista, defendem a sua "dama", criticam os oponentes. Ou seja, apimentam esta pré´-pré-campanha. Até agora poucas ideias se viram, ouviram ou leram. Pelo menos, de uma forma estruturada. Claro que é cedo para isso mas o único vislumbre de uma coisa dessas está a ser feita por Eugénio Marinho numas iniciativas "intimistas" e temáticas.
Também não se conhecem equipas e, para mim, é fundamental conhecer quem acompanha os cabeças de lista, pois sem uma boa equipa não pode haver boa governação. Neste particular a candidatura socialista está ma…

As saudades que (não) tinha disto!

Os últimos tempos têm sido marcados por uma grande agitação.
Sinal dos tempos acelerados que vivemos e da urgência que colocamos nas coisas. O infame urgente que não nos deixa tratar daquilo que é importante.
Da política, ao desporto. Da religião aos temas mais sociais tudo tem estado ao rubro neste canteiro à beira-mar plantado. Muitas vezes me interrogo se será o efeito Marcelo. O contágio do frenesim do nosso Presidente a todos nós. 
Não! Não me parece. São mesmo outros tempos e temos de nos adaptar.

Tudo o que é dito ou escrito é amplificado mas, também, rapidamente abafado pela "next big thing". Parece-me que se fala muito e se pensa pouco. Isso não pode ser um bom sinal! Acresce que os social media são ferramentas poderosas para os cobardes e mal-intencionados. Principalmente contra os que não se inibem de se expressar.
Não serão ameaças e insultos que me calarão se e quando entender dizer algo. Admito não ser a pessoa mais consensual do mundo mas também não sou um extremis…