Avançar para o conteúdo principal

As razões de um voto

Retirado da Internet

Está quase na hora de sermos chamados a escolher os nossos deputados para nova legislatura. Como sempre fiz, responsavelmente, comparecerei na minha assembleia de voto para exercer esse meu direito.

Não sou filiado em nenhum partido e confio mais em pessoas do que nas siglas a coberto das quais concorrem a uma eleição. Ainda que considere os partidos políticos indispensáveis ao funcionamento do país, não é a "bandeira" que me impele a votar.

Tento estar o mais informado possível acerca dos assuntos que dizem respeito a uma governação (nacional ou local) e daí retiro o meu sentido de voto em cada eleição. Nesta altura já posso dizer que o meu sentido de voto está definido.

Nas legislativas 2015 ele será depositado na coligação "Portugal à Frente".

Essa minha decisão está directamente ligada à maior confiança que essa proposta política me confere em contraponto com a do Partido Socialista, porventura mais sedutora. Os anos de crise que ainda atravessamos aconselham prudência na governação e não vejo isso reflectido na proposta socialista. Acresce que a ruptura com as ideias do último governo socialista não foi feita e isso é algo que me inspira bastante desconfiança.

Confesso que já fui admirador de António Costa mas, à medida que o fui conhecendo melhor (traços pessoais e políticos) me desiludi profundamente. Acredito que se trata de um bom tribuno mas de uma pessoa pouco leal. Desde logo pelo modo como chegou à liderança do seu partido atropelando as regras da camaradagem e do espírito de grupo. Não gostei, também, do tom radical de algumas das suas posições que poderão dificultar o período pós-eleitoral (embora se saiba que Costa não resistirá a uma derrota, em caso de vitória estas posições podem ser prejudiciais).

Reconheço, sem dificuldade, que fez coisas bem feitas na elaboração das propostas. Estudos, projecções e suporte científico ao programa de governo. O problema é a filosofia a ele inerente (na qual eu não confio) e a impressão que tudo está muito preso por "arames". É uma questão de credibilidade que se conquista ou não. No meu caso, não conquistou.

Tenho, ainda, uma razão pessoal que me faz votar na coligação: uma familiar minha é candidata a deputada pelo meu círculo eleitoral. Reconhecendo a sua dedicação e bom trabalho na última legislatura isso desequilibra, ainda mais, os pratos da balança.

Fundamental é que esta eleição tenha uma participação gigantesca mostrando que nos importamos. Porque é mais fácil exprimir opiniões nas mesas do café e em posts no facebook mas é nas urnas que, realmente, fazemos alguma coisa para as afirmar.

Até já!!!!




Comentários

Mensagens populares deste blogue

SELVAGENS!!!!

Imagem retirada de http://cm-fafe.pt
Volto a este espaço, há muito deserto, para expressar a minha repulsa pelas atitudes do Município de Fafe no abate arbitrário de árvores no espaço urbano.
Não há qualquer relatório que justifique estes atentados que quem nos governa (?) tem praticado até porque aquele que, supostamente escuda este "crime" não diagnostica nenhuma doença insanável. É terrorismo puro e simples que procura respaldo em técnicos de uma instituição respeitada.
Quem quiser ler o relatório encontrá-lo-á aqui .
Não está em questão o valor do património natural destes espécimes mas mais uma acção que demonstra a insensibilidade que habita na 5 de Outubro e que tinha sido bem demonstrada no ataque às árvores da Praça da Liberdade. 
Aproveito a oportunidade para lembrar que a Praça 25 de Abril sofreu uma profunda requalificação há não muito tempo e quem perder um bocadinho de tempo a ler o relatório de conforto que o Município divulgou constatará que os problemas san…

A MINHA LEITURA

Raúl Cunha ganhou!

Mais do que o PS. Mais do que a família Summavielle. Mais do que o "PS de Lisboa". Quem fez a diferença nestas eleições foi mesmo Raúl Cunha. O mais político dos não-políticos deu uma lição aos catedráticas dessa arte.
Numa noite eleitoral em que não vislumbro claros derrotados e em que, após uma campanha com episódios lamentáveis (especialmente nas redes sociais), a pequena diferença entre os dois primeiros classificados poderia levantar questões, o que se passou foi de grande maturidade democrática.
Excepção a isso foi um excerto de um comentário da candidata do PS à junta de freguesia de Fafe em que dizia "Lamento que Fafe não queira mais e melhor", demonstrando falta de humildade e de sentido democrático mas desculpável por ter sido proferido muito a quente.
Foi uma boa eleição. Espero que se siga um processo que conduza à governabilidade do nosso concelho. Não, necessariamente, uma coligação parecida com a do último mandato mas que seja enc…

Grato pela atenção

Ao fim de 7 meses e 10.000 visualizações, sinto-me honrado pela atenção que dezenas de pessoas entendem dedicar aquilo que escrevo aqui. 
Confesso que, à partida, não tinha quaisquer expectativas acerca do impacto que a minha intervenção iria gerar ou do interesse que poderia suscitar. Foram vários os temas que foquei. Uns de carácter mais pessoal que reflectem o comprometimento que estabeleci. Outros de carácter mais interventivo, fruto da minha faculdade de pensar e ter opinião.
Reafirmo o meu compromisso de fidelidade às minhas ideias e à verdade. Doa a quem doer e sem medo de enfrentar, olhos nos olhos, quem, eventualmente, se sinta desconfortável com os meus textos. Nunca entrei, nem entrarei, em questões pessoais e a minha análise será sempre aos aspectos públicos de pessoas ou instituições.
Não posso deixar passar sem agradecer os vossos comentários (mantenho os comentários totalmente abertos e livres), as palavras de incentivo que muitos de vós me entregam quando nos encontram…