Avançar para o conteúdo principal

Fafe: onde tudo acontece!


Imagem retirada da internet
Em Fafe parece que gostamos das coisas "secretas".

Para um concelho com esta dimensão, há uma oferta de acontecimentos verdadeiramente notável mas, fora de determinados círculos, a informação não passa.Não divulgamos, não comunicamos, não chamamos gente para junto de nós. Que razões concorrerão para isto?

Em minha opinião começa por um certo amadorismo nesta área. Depois porque se fazem os eventos com orçamentos "curtos" e, erradamente, a comunicação é sempre uma das rubricas sacrificadas. Ainda, um certo provincianismo ao não acreditar na nossa capacidade de realização e de atracção de públicos diferentes.

Daqui resulta que uma agenda recheada passe (quase) completamente despercebida até aos fafenses quanto mais a forasteiros. Por outro lado, uma agenda demasiado preenchida potencia a saturação do público. Ainda para mais quando esse universo se reduz através de uma deficiente comunicação.

A solução para isto seria existir uma entidade coordenadora das agendas dos promotores. Não como forma de coarctar a liberdade de organização mas como instrumento de optimização dos recursos. Só eventos e organizadores integrados nessa agenda "oficial" seriam candidatos a apoios de carácter financeiro e\ou logísticos. Esta acção de coordenação teria, também, a possibilidade de enriquecer os eventos através de um programa complementar.

Para isso apenas é preciso haver espírito de partilha e vontade de fazer coisas cada vez mais bem feitas sem retirar, bem entendido, o espírito de carolice que tão necessário é.

Até já!!!!

Comentários

  1. 1. Desmazelo
    X. Sobranceria
    2. Incompetência

    Aposto numa dupla: X2.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que será mesmo uma tripla, Hernâni. Exemplo de desmazelo: http://teatrocinefafe.blogspot.pt/2014/01/programacao-para-fevereiro.html

      Eliminar
  2. Concordo plenamente com o Ricardo! Mentes com vista muito curta.
    Caro amigo, relativamente à Rua José Ribeiro Vieira de Castro ser a Rua maior de Fafe, plenamente de acordo... o que o Ricardo não deve saber é que mesma também é conhecida pela "Rua de Portugal". Conheço bem a casa onde o Ricardo viveu, eu também andei por lá uns 25 anos. Agora não sei qual o fundamento para Rua de Portugal? Sei que os mais velhos também a conhecem assim. Aí está um trabalhinho para o Jesus Martinho.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabia, não. Conheço o "Largo de Portugal" mas nunca tinha ouvido chamar-lhe "Rua". Não que isso seja importante. Era, apenas, uma provocação amigável.
      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

Obrigado pelo seu contributo.

Mensagens populares deste blogue

SELVAGENS!!!!

Imagem retirada de http://cm-fafe.pt
Volto a este espaço, há muito deserto, para expressar a minha repulsa pelas atitudes do Município de Fafe no abate arbitrário de árvores no espaço urbano.
Não há qualquer relatório que justifique estes atentados que quem nos governa (?) tem praticado até porque aquele que, supostamente escuda este "crime" não diagnostica nenhuma doença insanável. É terrorismo puro e simples que procura respaldo em técnicos de uma instituição respeitada.
Quem quiser ler o relatório encontrá-lo-á aqui .
Não está em questão o valor do património natural destes espécimes mas mais uma acção que demonstra a insensibilidade que habita na 5 de Outubro e que tinha sido bem demonstrada no ataque às árvores da Praça da Liberdade. 
Aproveito a oportunidade para lembrar que a Praça 25 de Abril sofreu uma profunda requalificação há não muito tempo e quem perder um bocadinho de tempo a ler o relatório de conforto que o Município divulgou constatará que os problemas san…

Grato pela atenção

Ao fim de 7 meses e 10.000 visualizações, sinto-me honrado pela atenção que dezenas de pessoas entendem dedicar aquilo que escrevo aqui. 
Confesso que, à partida, não tinha quaisquer expectativas acerca do impacto que a minha intervenção iria gerar ou do interesse que poderia suscitar. Foram vários os temas que foquei. Uns de carácter mais pessoal que reflectem o comprometimento que estabeleci. Outros de carácter mais interventivo, fruto da minha faculdade de pensar e ter opinião.
Reafirmo o meu compromisso de fidelidade às minhas ideias e à verdade. Doa a quem doer e sem medo de enfrentar, olhos nos olhos, quem, eventualmente, se sinta desconfortável com os meus textos. Nunca entrei, nem entrarei, em questões pessoais e a minha análise será sempre aos aspectos públicos de pessoas ou instituições.
Não posso deixar passar sem agradecer os vossos comentários (mantenho os comentários totalmente abertos e livres), as palavras de incentivo que muitos de vós me entregam quando nos encontram…

A Quinta do Confurco

Há uns anos atrás o município de Fafe adquiriu a chamada "Quinta do Confurco" para, ao que diziam, evitar que aí fosse plantada uma extensa área de eucaliptal. Iniciativa de louvar quer pela preservação da identidade da paisagem quer pela protecção daquela área em relação aos incêndios florestais (essa praga que, oportunamente, abordarei neste espaço).
Em 2012 novo passo foi dado para devolver aquele espaço à paisagem serrana: a reflorestação com espécies autóctones, projecto apoiado por verbas do "PRODER" e envolvendo a população nesse propósito. Até aqui tudo foi bem feito e, embora não tivesse sido pensado, a reacção a uma espécie de agressão foi rápida e incisiva. As minhas inquietações começam agora.  Quais são os planos do município para aquele activo (um grande activo, reforço) do nosso concelho? Antes de mais, na minha opinião, a defesa contra os já referidos incêndios deverá ser a maior preocupação.
Sabendo que o Turismo de Natureza é uma vertente que est…