Avançar para o conteúdo principal

1 ANO DEPOIS


Quase a celebrar-se um ano sobre a tomada de posse do executivo camarário de Fafe, o semanário "Noticias de Fafe" fez uma ronda de entrevistas com os líderes políticos ali representados.

Registo a elevação, educação e respeito entre eles  a sinceridade que transparece das suas palavras, o empenho de todos em contribuir para o desenvolvimento do concelho e o distanciamento em relação à politiquice.

Registo um "apagão" dos restantes vereadores do PS (com referências muito vagas nas 3 entrevistas) fruto, talvez, da ascensão da imagem do Presidente e cabeça de lista desse partido. Essa é, para mim, a nota mais unânime: a surpresa, pela positiva, da acção, da postura e da capacidade do Dr Raul Cunha. Comungo, pessoalmente, dessa opinião.

Há, reconhecidamente, uma nova filosofia naquela casa algo que já tinha sentido e confessado aqui mas que me sinto obrigado a voltar a referir. Serão ao nível da comunicação as diferenças mais visíveis e é da mais elementar justiça reconhecer o excelente trabalho do assessor do Presidente, Nuno Cobanco.

Este foi, no entanto, o 1º ano de um ciclo de 4 e, também como disse no texto acima citado, há coisas que se relevaram em 2014 mas que se vão "cobrar" em 2015. Desde logo, porque este executivo não governou com o "seu" orçamento, fruto das vicissitudes do processo eleitoral. 

É chegada a hora de apresentar o seu plano e orçamento e, aí, vincar diferenças. O convite aos IPF para contribuírem para esses documentos é um sinal de envolvimento e abertura mas será sobre quem governa que recairão as atenções. Até porque mais importante do que fazer documentos de intenções é a capacidade de os executar e essa execução fazer  chegar às pessoas o resultado daquelas opções.

Na minha opinião, as entrevistas identificaram a maioria dos problemas do concelho e agora espera-se a acção que tenda a resolvê-los, sendo certo que alguns não dependem, exclusivamente, da vontade do executivo. O entendimento com privados e o acesso a verbas comunitárias serão decisivos para a qualidade da governação.

Uma coisa vos digo: vivem-se tempos muito interessantes em Fafe.

Até já!!!!



Comentários

  1. Concordo contigo! Ainda que mais tarde vá tecer alguns comentários, neste momento deixa-me apenas dizer: "até que enfim"!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Obrigado pelo seu contributo.

Mensagens populares deste blogue

SELVAGENS!!!!

Imagem retirada de http://cm-fafe.pt
Volto a este espaço, há muito deserto, para expressar a minha repulsa pelas atitudes do Município de Fafe no abate arbitrário de árvores no espaço urbano.
Não há qualquer relatório que justifique estes atentados que quem nos governa (?) tem praticado até porque aquele que, supostamente escuda este "crime" não diagnostica nenhuma doença insanável. É terrorismo puro e simples que procura respaldo em técnicos de uma instituição respeitada.
Quem quiser ler o relatório encontrá-lo-á aqui .
Não está em questão o valor do património natural destes espécimes mas mais uma acção que demonstra a insensibilidade que habita na 5 de Outubro e que tinha sido bem demonstrada no ataque às árvores da Praça da Liberdade. 
Aproveito a oportunidade para lembrar que a Praça 25 de Abril sofreu uma profunda requalificação há não muito tempo e quem perder um bocadinho de tempo a ler o relatório de conforto que o Município divulgou constatará que os problemas san…

A MINHA LEITURA

Raúl Cunha ganhou!

Mais do que o PS. Mais do que a família Summavielle. Mais do que o "PS de Lisboa". Quem fez a diferença nestas eleições foi mesmo Raúl Cunha. O mais político dos não-políticos deu uma lição aos catedráticas dessa arte.
Numa noite eleitoral em que não vislumbro claros derrotados e em que, após uma campanha com episódios lamentáveis (especialmente nas redes sociais), a pequena diferença entre os dois primeiros classificados poderia levantar questões, o que se passou foi de grande maturidade democrática.
Excepção a isso foi um excerto de um comentário da candidata do PS à junta de freguesia de Fafe em que dizia "Lamento que Fafe não queira mais e melhor", demonstrando falta de humildade e de sentido democrático mas desculpável por ter sido proferido muito a quente.
Foi uma boa eleição. Espero que se siga um processo que conduza à governabilidade do nosso concelho. Não, necessariamente, uma coligação parecida com a do último mandato mas que seja enc…

TEMPOS DIFÍCEIS

Com a tomada de posse dos eleitos pelos resultados das eleições autárquicas, inicia-se um novo ciclo político em Fafe.
Adivinham-se dificuldades para o executivo que irá tentar governar em minoria e muito se espera da capacidade conciliadora do Presidente Raul Cunha. Não sendo um político de carreira, este tem demonstrado muita capacidade de "fazer pontes" e logo no discurso de investidura deixou bem claro que é isso que pretende fazer.
Ao contrário do mandato passado, a possibilidade de governar coligado com outra força política parece estar afastada restando, por isso, a negociação permanente de todas as decisões do executivo. O passado mostra que há imensos temas que são consensuais e não se prevê que agora passe a ser diferente.
Há outros temas que são mais discutíveis e é aí que deverão surgir dificuldades. 
Desde logo na constituição dos gabinetes de Presidente e vereadores. Este acto, vulgarmente usado para colocar pessoal político, deverá receber a oposição das rest…